domingo, 28 de abril de 2013

Limpeza de Próteses Dentárias – Como limpar sua Prótese

limpeza de protese dentaria
Limpeza de Próteses Dentárias – Como limpar sua Prótese
De acordo com o tipo de prótese dentária, a forma como você a deve limpar é diferente. Assim vamos neste artigo subdividir a higienização das próteses dentárias de acordo com o seu tipo. Seguem algumas dicas que pode seguir para limpar sua prótese. Ressalvamos que existem diversos métodos seguros, em caso de dúvida, consulte seu dentista para saber qual o método mais adequado à sua prótese e siga suas indicações. Não só prolongará a vida útil da prótese como estará a salvaguardar a sua saúde.
Uma última nota: é importante limpar a sua prótese dentária todos os dias. Da mesma forma que é importante escovar os dentes diariamente (pelo menos duas vezes ao dia), quem usa prótese dentária deve também seguir padrões de higiene semelhantes. É sua saúde que está em causa!

A limpeza das próteses fixas

Regra geral, o que se aconselha é que quem for portador de próteses fixas, tais como as pontes e as coroas, deve escovar a sua dentição da mesma forma que escova os dentes naturais. A escovagem deve então ser feita com recurso à vulgar pasta dentífrica  e uma escova de dentes normal.
Como as próteses fixas se comportam de forma muito semelhante à dentição natural, não irão requerer mais cuidados do que os mencionados acima. No entanto, ressalvamos para alguns cuidados quando usa o fio dentário: mesmo sendo aconselhável que use o fio dentário em cada escovagem, tenha em conta que, ao ser portador de uma prótese fixa, não o poderá usar da mesma forma.  Quem for por exemplo portador de uma “ponte” irá necessitar de dispositivos que permitam a o uso do fio dentário, nomeadamente “passadores” de ponta dura que permitam usar o fio e assim complementar a higiene oral efetuada através da escovagem.

A limpeza das próteses removíveis

A limpeza das próteses removíveis é muito simples. Esta é talvez a maior das suas vantagens, uma vez que a sua remoção da cavidade bucal permite que sejam limpas de forma muito eficaz.
Um alerta: tenha muito cuidado ao remover a sua prótese removível (a dentadura por exemplo). É na hora de as limpar que muitas se quebram, levando à sua substituição ou reparação. Tome especial cuidado quando as retira, onde as coloca e como as agarra na hora de limpar!
Assim, a limpeza de uma prótese removível de forma eficaz pode ser efetuada do seguinte modo:
  1. Que materiais deve usar: Dentífrico normal (ou outro que seu dentista recomendar), escova de dentes vulgar
  2. antes de iniciar a limpeza da sua prótese, coloque uma toalha/pano na pia. Assim no caso desta cair não se quebrará facilmente
  3. coloque o dentífrico na escova, remova sua prótese e inicie a escovagem
  4. segure com firmeza a prótese dentária pois a humildade e dentífrico nas mãos por vezes faz com que a prótese escorregue das mãos
  5. escove a prótese em toda a sua extensão, não esqueça nem um espaço por escovar, assim removerá todos os restos de comida e placa bacteriana
  6. depois de terminar essa fase passe a prótese por água limpa, de preferência água a correr para retirar toda as pasta dentífrica
  7. complemente a limpeza da sua prótese com uma escovagem muito ligeira da sua boca com a mesma escova e dentífrico. Se não quiser escovar, passe pelo menos um elixir bucal na sua boca
  8. outro complemento é efetuar uma ligeira massagem nas gengivas de modo a relaxar um pouco esses espaços onde a prótese assenta. Use a escova, ou a ponta dos seus dedos.
  9. e a escovagem terminou. Fácil certo?
Há quem complemente a higienização da prótese com a sua colocação num recipiente com produtos efervescentes. Pode prescindir desse passo, embora seja aconselhável, em especial à noite, antes de deitar, que coloque a sua prótese num copo com água.
Examine também com frequência os locais onde sua prótese assenta, assim se surgirem feridas, ou dores localizadas você saberá delas numa fase precoce, ideal para as tratar de forma eficaz. Nesses casos evite usar produtos que aumentem sua dor e se dirija com urgência ao seu dentista a fim de tratar esses problemas e se necessário, ajustar sua prótese.

O que faço quando não é mais possível higienizar a prótese?

Caso não siga as recomendações de limpeza da sua prótese, poderá correr o risco desta se degradar mais rapidamente com o tempo, acumular detritos indesejáveis e até ter de ser substituída.
Regra geral, as próteses devem ser substituídas no máximo de cinco anos em cinco anos, pois nessa fase já terão um desgaste muito grande e a sua funcionalidade mastigatória e estética estará no seu limite. É vulgar nesta fase ver próteses muito gastas e com um aspecto envelhecido.
Se você vir que sua prótese está já a acumular demasiados detritos e não é mais possível retirá-los com uma escovagem normal, provavelmente deverá substituí-la. Caso contrário poderá acumular na sua boca bactérias nocivas à sua saúde com consequências imprevisíveis.
Atenção: Nunca use materiais abrasivos, tais como facas ou outros materiais para forçar a retirada de detritos! Tal procedimento poderá provocar danos irreparáveis ou até a quebra da sua prótese.

Tipos de próteses dentárias

Antes de nos referirmos a que tipos de próteses dentárias poderá encontrar, será talvez importante dar-lhe uma noção mais clara do que é afinal uma prótese e então de seguida explicar-lhe de forma mais clara a forma como se classificam.

Uma prótese dentária é o quê afinal?

A prótese dentária é um dispositivo que tem como objectivo único a substituição ou reposição de dentes perdidos e as suas estruturas adjacentes, através de elementos artificiais que permitem-lhe imitar de forma bastante eficaz dentes e até gengivas. São construídas em compósitos e materiais bastante diferenciados, tais como resinas (as chamadas próteses flexíveis), cerâmicas e até metal.
Como têm por objectivo suprir a falta de dentes, a sua função é no fundo a de restituir as funções mastigatórias de forma eficaz e ao mesmo tempo corrigir esteticamente a boca e dentição do paciente. Ao contrário dos implantes dentários, não são a melhor opção estética, mas no entanto são muito mais acessíveis em termos de custos. Também não terão a mesma eficácia em termos da mastigação e até durabilidade dos materiais, mas como havia sido dito, acabam por ser a única escolha quando financeiramente não é possível optar por outro tratamento.

Que tipos de próteses dentárias existem?

Há várias formas de classificar as próteses dentárias, mas poder-se-ão resumir a três:
  • quanto à extensão da prótese;
  • tipo de suporte
  • tipo de fixação.
Passemos então a explicitar mais detalhadamente cada um dos tipos de prótese dentária:
  1. Próteses dentárias segundo a sua extensão. As próteses dentárias podem ser:
    • unitárias – no caso de substituírem por exemplo apenas um dente
    • parciais – as próteses de substituição de 2/3 ou mais dentes
    • totais – quando não há dentição alguma e toda a função mastigatória tem de ser reposta com um dispositivo que o faça para a totalidade da dentição
  2. Tipo de suporte que fixa a prótese dentária
  3. Iremos referir os casos mais comuns de fixação de próteses, pois na realidade, há diversas formas de suportar estas estruturas. As próteses dentárias podem ser suportadas nas estruturas de outros dentes (as chamadas pontes), podem fixar-se à mucosa mastigatória (o caso das chamadas dentaduras), pode também optar-se pela fixação em implantes, as chamadas próteses sobre implantes. Em casos comuns de próteses parciais que têm de eliminar a falta de dentes e lados opostos da arcada dental, é comum optar-se por um misto entre a fixação na mucosa mastigatória e a fixação com a ajuda de dentes remanescentes.
  4. Tipo de fixação: as próteses fixas e as removíveis
  5. A forma mais comum de classificar as próteses dentárias é pelo atributo do tipo de fixação, se se tratam de próteses que se podem retirar no dia-a-dia, as próteses removíveis, ou se pelo contrário são fixas (pelo diversos métodos referidos acima). Para além da fixação estas próteses diferem enormemente pela forma como é efetuada a sua higienização. Se por um lado as próteses removíveis são de uma higienização muito mais fácil, já que a sua remoção permite até desinfectá-las, as próteses fixas podem apenas ser limpas pelo método da escovagem dental comum, estando até de certa forma restrito o uso de fio dentário para quem tem próteses fixas, pois deve ter cuidado suplementares no seu manuseamento.

Tantos tipos de prótese… Qual devo escolher?

Sim, é verdade que existe uma panóplia enorme na classificação de próteses dentárias e tal pode levar a alguns equívocos. Um deles é o de julgar que existe uma infinidade de próteses, na realidade tal não corresponde à verdade. Aliás, por razões diversas, principalmente econômicas  grande parte das próteses que os dentistas colocam são as removíveis, falamos das que são vulgarmente conhecidas como dentaduras.
Além disso, é importante referir que para cada caso é aplicada uma prótese mais adequada. E nem sempre é possível dar ao paciente a escolha entre próteses, a opção deve ser feita tomando em conta não só o resultado que pretende o paciente, mas também suas possibilidades econômicas e até suas exigências estéticas.
Como vê não é tanto uma questão de escolha da prótese, mas antes uma questão de adequar a prótese certa a cada caso. estéticas. Assim, qualquer profissional de saúde deve demonstrar ao seu paciente os tipos de próteses que este pode colocar, explicar-lhe as vantagens e desvantagens destas e deve acima de tudo ouvi-lo e tentar optar pela solução mais eficaz.

Prótese dentária fixa: tipos, preços…

Alcançar um sorriso natural após a perda de dentes é possível através da colocação de uma prótese dentária fixa. Estas são usadas pelos dentistas para preencher “pequenos” espaços vazios na dentição dos pacientes. Dependendo do tipo de prótese fixa que escolher, o procedimento e o seu custo irão variar. Se gostaria de saber mais acerca das próteses fixas continue a ler o artigo.

Que tipos de próteses dentárias fixas existem?
As próteses fixas são de dois tipos de acordo com a sua aplicação: as coroas e as pontes.
  • As coroas: são uma estrutura que cobre a totalidade do fragmento de um dente. São usadas na grande maioria dos casos para substituir dentes que ainda têm uma grande parte saudável e onde se pode “colar” um dente artificial (como no caso dos dentes fraturados). São fixas à parte saudável do dente a tratar, através de polímeros especiais que potenciam a longevidade deste tratamento e permitem dar ao dente um aspecto natural. É no fundo um dente artificial que se coloca por cima do dente a tratar.
  • As pontes: tradicionalmente são constituídas por duas coroas nas extremidades e por um dente artificial no meio. Regra geral são usados para substituir dentes em falta (previamente extraídos por exemplo). Podem também ser usados como suporte das pontes: os dentes naturais, implantes dentários, ou até uma combinação de ambos. Tudo dependerá do tipo de ponte que escolher e que for mais adequada ao seu caso.

Como se aplicam as próteses dentárias fixas?

No caso das ponteso seu dentista começará por preencher os dentes adjacentes com uma massa específica para assim retirar um molde perfeito de onde a prótese irá ser apoiada através de coroas dentárias.
Depois de terminada a elaboração das coroas (que podem ser apenas de cerâmica, metálicas ou porcelana fundida com metal), cada uma delas é unida ao(s) dente(s) artificial(ais) que constituirão no fundo a sua prótese dentária.
Assim que a ponte estiver pronta, deverá voltar ao dentista para a sua aplicação. Nesta última fase o dentista irá ligar as coroas aos seus dentes e assim fixar toda a prótese no seu devido lugar. As pontes são duráveis, sendo que em alguns casos a sua longevidade se prolonga até aos 10 anos.
No que toca à aplicação das coroas, estas são colocadas caso se pretenda a substituição/reparação de um dente apenas. O dentista depois de retirar o material em excesso do dente a reparar, como por exemplo cáries ou fragmentos, passará à aplicação de um dente artificial com a constituição referida acima e assim sendo pode restituir a sua dentição com maior rapidez do que no caso das pontes.

Cuidados a ter com as próteses fixas

Para aumentar a longevidade da sua prótese dentária e preservar a sua saúde oral, é fundamental que cuide da sua prótese com especial cuidado. Escovar os dentes diariamente, usar fio dentário e ir ao dentista regularmente, diminuem a probabilidade de ter problemas dentários e aumentam o tempo de vida da sua prótese.
Se a sua prótese dentária necessitar de ser reparada por algum motivo, deve consultar o seu dentista com a maior brevidade possível. De preferência o que lhe colocou a prótese. Não adie! A cada dia que passa aumentam as probabilidades de danificar ainda mais a sua prótese dentária e prejudicar a sua dentição e saúde oral. Tal poderá incluir problemas gengivais, infecções ou outros problemas dentários bastante sérios.

Preço de uma prótese dentária fixa

Acerca deste tema temos de lhe dar uma resposta algo indireta. De acordo com cada caso e cada tipo de prótese, o preço destas pode variar. Assim, se necessitar de uma ponte, claramente terá de despender mais dinheiro do que no caso de apenas necessitar de uma coroa. Em todo o caso são tratamentos sempre menos dispendiosos do que a colocação de implantes dentários.
Caso o seu seguro dentário, ou plano de saúde inclua as próteses dentárias(o que acontece na maioria dos casos), este custo poderá ser reduzido de forma drástica. Poderá assim proceder à substituição ou reparação de dentes a preços relativamente comportáveis.

Para mais informações acerca das próteses dentárias fixas, do seu custo, vantagens e desvantagens, consulte os dentistas que aconselhamos. São profissionais de saúde devidamente qualificados para lidar com estes procedimentos médicos de forma responsável, profissional.